Luft estuda atuar em novos modais

Luft estuda atuar em novos modais

O anúncio de pacotes federais voltados às ferrovias, rodovias e portos tem despertado um interesse maior de empresas que já atuam em algum nicho da infraestrutura em ampliar o escopo de operação. De olho nessas oportunidades e no potencial de aceleração do ritmo de crescimento, o grupo de logística Luft se prepara para novos negócios. Um dos projetos em estudo está vinculado à navegação fluvial interior, no qual a empresa pretende operar embarcações para movimentar grandes volumes, principalmente commodities. A outra iniciativa em desenvolvimento está voltada à integração entre os modais rodoviário e ferroviário. A empresa quer estabelecer parcerias com operadoras ferroviárias para fazer a ligação dos transportes. Além disso, a Luft avalia oportunidades de aquisições para atuar no setor portuário. “Queremos criar um modelo para botar a carga no lugar certo, um modelo de negócios baseado em cadeias de abastecimento”, diz o vice-presidente e um dos sócios do grupo familiar, Luciano Luft. “Queremos ser um consolidador. O cliente vai falar com uma única empresa.” Para bancar os projetos, a Luft Logistics estuda contar com a entrada de um fundo de investimentos nesses segmentos específicos de atuação, mas não no grupo como um todo. Por meio do Itaú BBA, ela chegou a sondar empresas logísticas em 2012 para estabelecer algum tipo de fusão, que também poderia contar com um fundo de private equity, segundo o Valor apurou. O negócio, contudo, não foi adiante. O vice-presidente afirma que a companhia não está à venda e que planeja realizar uma oferta pública inicial de ações. Até o momento, no entanto, não há nada preparado nesse sentido, apenas os resultados auditados desde 2006. “Temos...