Caminhoneira motivo de orgulho

Caminhoneira motivo de orgulho

“Tenho 12 anos de Luft. Passei quase toda a minha carreira dirigindo caminhões nesta empresa, local em que cresci e aprendi bastante”, diz Ana Maria Rodrigues da Silva.

“Dirijo o caminhão toco, também conhecido como caminhão semipesado. Tem um eixo simples na carroceria (um eixo frontal), e um traseiro (para as rodas traseiras), simples. Ele tem capacidade para carregar até 6 toneladas”, diz Ana Maria.

O percurso que mais faz é da capital, São Paulo, ao interior. “É um caminho geralmente muito bom, com boas estradas, bem pavimentadas e com boa sinalização”, comenta a caminhoneira. Ela transporta medicamentos, uma carga muito importante e que pede cuidados específicos. É uma carga sensível que requer atenção em itens como armazenamento, acondicionamento, movimentação e distribuição.

“Tenho sorte de, há 12 anos, trabalhar em uma empresa que prega o tratamento igualitário de todos. Aqui todos os colegas se tratam com respeito”, diz enfatizando que temos as mesmas capacidades de dirigir e transportar cargas quanto qualquer outra pessoa. Creio que as empresas de todos os setores devem dar mais oportunidades, abrir mais portas para a mulher no mercado de trabalho.

Ela faz questão de enviar uma mensagem às mulheres:

“Somos iguais. Confiem na sua capacidade e busquem sempre se aprimorar, estudar, fazer cursos, conhecer novas tecnologias e como integrá-las ao seu dia a dia na estrada”.

Ana Maria é noiva de Edson Antônio de Oliveira que também exerce a função de caminhoneiro. “Sou muito feliz. Comecei na profissão porque sempre gostei de dirigir e me interessava por caminhões e a vida na estrada”.

Ela lembra que a oportunidade na Luft surgiu por meio de um outro motorista que conheci em um cliente quando eu ainda trabalhava em outra empresa.

“Realizei um dos meus sonhos”, finaliza com um lindo sorriso

Fonte: Revista Caminhoneiro